Confira como funciona investir no Tesouro Direto

No decorrer dos últimos anos um tipo de investimento que vem crescendo bastante e ganhando destaque no mercado é o Tesouro Direto. É um dos recursos mais utilizados por diversos investidores que estão à procura de expandir a sua renda, que é bem superior do que a poupança, além de ter total segurança. Com o Tesouro Direto é possível investir seu dinheiro e, por meio disso, receber acréscimos de juros na data de vencimento, sendo definida a partir do momento que é realizada a compra. 

Veja também:

Entenda como funciona o mercado de ações

Criptomoedas: O que é e como funciona

Conheça o Cartão de crédito Ame e veja como solicitar o seu

O que é o Tesouro Direto?

O Tesouro Direto nasceu em 2002 através do órgão do governo federal que é responsável pelo gerenciamento das dívidas públicas, o Tesouro Nacional. Esse programa foi criado com o objetivo de permitir que pessoas físicas tivessem o direito na compra de título do Tesouro Direto, é uma forma de emprestar seu dinheiro ao governo federal por meio da internet. 

Esse investimento tem ganhado bastante destaque, por suas democracias e permitir aplicar investimento bem baixo, a partir de R$ 30 já pode investir. E, esse investimento de Tesouro Direto oferece total liquidez diária para todos. Além do mais, esse método de investimento pode ser realizado através de corretoras de valores e diversos bancos, não há restrição quanto a isso. 

Tipos de títulos públicos

Na plataforma disponibilizada pelo Tesouro Direto, existem alternativas de títulos públicos para serem comprados por diferentes perfis de investidores. É importante que antes de investir o seu dinheiro, verifique o prazo do investimento e quais os riscos. Os títulos públicos vendidos no Tesouro Direto são divididos em três categorias: prefixados, pós-fixados e híbridos. 

No momento em que você realiza a compra nos prefixados, o investimento só pode ser resgatado na data de vencimento e no processo de negócio você vai saber exatamente quanto irá receber. Nos pós-fixados, é possível conhecer todos os critérios da sua remuneração, porém o valor que vai receber só sabe quando for resgatar. E os híbridos, há uma parte do seu investimento que vai receber quanto irá receber, sendo definida já no momento de realizar o negócio, e o restante está ligado à variação da inflação. 

Tesouro Selic (LFT)

Esse título é pós-fixado em que faz o acompanhamento das variações das taxas básicas de juros básicos na economia. A taxa do Tesouro Selic é determinada através do Banco Central (BC) a cada 45 dias. Esse título público tem uma menor oscilação de preço durante um pouco período de tempo e as liquidez ou rentabilidades aplicadas são diárias. 

Tesouro Prefixado (LTN)

Nesse método de investimento de título o valor a ser recebido será no momento da negociação e só pode ser resgatado na data do vencimento. Porém, é possível resgatar um valor que seja menor do que o investimento, dado porque os valores do título há uma oscilação ao longo do período, de acordo com os juros. 

Tesouro Prefixado com Juros Semestrais (NTN-F)

No Tesouro Prefixado com Juros Semestrais é possível verificar o retorno a obter do investimento no momento da compra. Porém, em cerca de duas vezes ao ano, é pago um juros em razão da data, que é denominado cupom. O benefício dele é que você pode ter um fluxo de caixa sem ter que vender o título antes do prazo de vencimento e tem a opção de resgatar os recursos obtidos ou investir. Porém, a cada cupom recebido há um desconto de 22,5% de imposto de renda sobre os seus ganhos.

Tesouro IPCA+ (NTN-B Principal)

Esse é um tipo de título híbrido em que o retorno a ser recebido é definido na compra e o restante está ligado à variação da inflação, sendo medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Nesse tipo de título o investidor é protegido contra a inflação e a remuneração é por meio da parte prefixada.

Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (NTN-B)

Esse título também é híbrido, em relação à remuneração definida no momento do investimento e nos restantes ligados às variações do IPCA. Essa alternativa quer dizer que a cada duas vezes ao ano o valor será pago de acordo com a remuneração que foi negociada. Destacando que a cada resgate é necessário pagar o imposto de 22,5%. 

Como funciona o Tesouro Direto

É importante que você entenda todo o funcionamento do Tesouro Direto, assim como todas as negociações envolvidas nestes mercado, como liquidez, os preços e rentabilidades, bem como os custos envolvidos nesse investimento. 

Quando é feito um investimento por meio do Tesouro, é preciso ter em mente que é um tipo de empréstimo realizado para o governo federal, que tem como garantia que o valor do seu investimento será recebido no prazo determinado. 

O preço e a rentabilidade estão incluídos nas negociações. O preço é valor do título durante a negociação e a rentabilidade é o juros do investimento. O valor mínimo de investimento de cada título é de 1% e aceito para investimento o valor mínimo de R$ 30. 

Aqueles títulos que são híbridos e prefixados, onde há um prazo para o resgate de investimento, no momento que solicita antes da data de vencimento, pode ser que haja prejuízo. Isso devido a oscilação de valores do título. 

Liquidez no Tesouro Direta está ligado com o tempo e facilidade que você resgata o dinheiro que foi investido. Vale destacar, que o investidor pode fazer o resgate do valor investido a qualquer momento, mas dependendo do título, pode ser que ocorra perdas ou prejuízos. O valor a ser resgatado pode ser recebido diretamente na sua conta, em cerca de uma dia, depois de ter solicitado.

Os custos do Tesouro Direto é o valor que é pago pelo o serviço oferecido da bolsa de valores do Brasil, a B3. O serviço oferecido pode disponibilizar todas as informações sobre os títulos, assim como as movimentações dos saldos aos seus investidores. E a taxa é cerca de 0,25% anualmente sobre o dinheiro que você investiu, sendo cobrado a cada semestre.

Em relação aos impostos que são cobrados pelos investimentos no Tesouro Direto vai depender do tempo em que você deixa o investimento, vale lembrar que quanto mais tempo deixar aplicado, menor será o imposto a ser pago. A alíquota que é aplicada sobre os investimentos aplicados é cerca de 22,5% sobre o lucro aplicado em até cerca de 180 dias.  

Quando é realizado resgaste em um prazo curto, por exemplo, abaixo dos 30 dias é cobrado o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Sendo calculados sobre o valor investido por um determinado tempo, porém ele é incidido somente nos primeiros 30 dias de investimento. Inicia em cerca de 96% para os resgates um dia depois de ter investido, em seguida, vai reduzindo até 0% no trigésimo dia. 

Horário de funcionamento

Para que os investidores possam realizar seus negócios com Tesouro Direto, é importante ter em mente que o horário de funcionamento da plataforma para investimento é das 9:30 às 18 horas. Nos finais de semana e nos feriados são das 18 horas às 5 horas.  Vale destacar que os preços e taxas são mostrados no momento que ocorre a operação, nos finais de semana ou feriados, as taxas e os preços são mostrados no site como uma forma de referência. Quando existem algumas bruscas oscilações nos valores do mercado em pouco tempo, o Tesouro Direto tem a permissão do interrompimento do mercado e das negociações a serem realizadas, evitando assim, que as operações sejam realizadas com preços bem deslocados no mercado.